Casa de chaves

O Ruud já tinha me contado essa história, mas contou de novo hoje e achei que precisava contar pra todo mundo. Claro que é pra me dar uma de mãe coruja, mas também pra mostrar como criança, de um modo geral, pensa e ouve tudo o que você diz e processa essa informação para próprio proveito.

Em Apeldoorn os filhos da Saskia têm uma casinha de plástico com várias portas, como daqueles brinquedos antigos que tínhamos: portas de cores diferentes, com chaves da mesma cor para abrirem aquela porte e somente aquela. A Jasmijn não descobriu a moral da história de primeira: tentou todas as cores primeiro, se frustrou, chorou, esperneou (como faz quando se frustra), mas voltou à dita cuja e repensou os próprios passos até encontrar a chave certa. Na porta vermelha tentou todas as chaves até descobrir que só a chave vermelha a abriria. Já na porta azul, parou e pensou, olhou, pesquisou todas as chaves até se decidir pela azul e abrir a porta. De primeira. Ela não é nenhum gênio, mas não há nada de errado em seu processo de raciocínio.

Agora vou sair à procura desse brinquedo pra ela, já que ela gostou tanto. Afinal, depois de tanto brincar com as mesmas coisas, é preciso apresentar coisas novas de vez em quando…

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s