Pôr-de-sol vermelho

Hoje, voltando pra casa, vi um pôr-de-sol ma-ra-vi-lho-so! Um sol vermelho, quase tinto, de querer parar pra admirar. É óbvio que eu estava dirigindo e não deu, mas a imagem ficou na minha cabeça, gravada na minha memória: foto de cinema.

O céu aqui pode ser baixo, ter milhões de nuvens e chover a cântaros, mas os pores-de-sol (quando conseguimos vê-los!) são fantásticos. Deve ser para compensar o clima cinzento de inverno…
Advertisements

Brasil, aqui vamos nós!

Domingo dia 09 estamos indo pro Rio, visitar a família, exibir a filhota (que merece ser exibida, né!), rever a terrinha… Às vezes fica difícil pôr em palavras o quanto sinto falta do Brasil, mesmo tendo me adaptado à vida aqui. Até porque viver no Rio nunca foi uma escolha pessoal minha, mas algo que me aconteceu: nasci e cresci lá, fiz amigos, encontrei trabalho e casa… Ou seja, aconteceu.

Viver na Holanda também “aconteceu”, pois pra mim não escolhemos por quem nos apaixonamos. Escolhemos, sim, o que fazer com esse amor, e eu escolhi viver o meu, mesmo tendo de viver tão distante de tudo que eu conhecia e de todas as outras pessoas que amo e que sempre fizeram parte da minha vida. Nunca pensei que seria fácil, e em certos continuo achando muito difícil. Este é um deles: criar filho longe de uma parte da família, a maior parte, é solitário e difícil. Tem seu lado triste também, quando eu gostaria que todos pudessem ver minha filha crescer, em vez de só de vez em quando.

Mas esta é a minha realidade, então é respirar fundo e vivê-la da melhor maneira possível. E manter o contato com todos, mostrar por fotos como ela está, como eu estou, como é a nossa vida aqui. E torcer para que as visitas continuem vindo. Afinal, do jeito que a situação econômica está, no Brasil e no mundo, fica cada vez mais complicado viajar…

Então, vou colocando umas fotos no site para que todos se acostumem com ela: a cara de sapeca, as pernocas fortes, os dedinhos rápidos. Divirtam-se!

Olha eu aqui tomando suco! Eu fico querendo botar a mão direto, pegar na caneca… Só não gosto desse bico chato que a minha mãe arrumou! Então me recuso a beber dele. hihihi

Quase matei a mamãe do coração quando ela me viu assim, em pé, no meu berço. Ela mandou o papai baixar ainda mais o colchão…