Solar (Milton Nascimento/Fernando Brant)

Vi a letra desta música no Orkut, numa comunidade de brasileiros sobre o exílio, e achei que tinha tudo a ver. Então, aqui vai…

Venho do sol
a vida inteira no sol
sou filho da terra do sol
hoje escuro
o meu futuro é luz e calor
De um novo mundo eu sou
e o mundo novo será mais claro
mas é no velho que eu procuro
o jeito mais sábio de usar
a força que o sol me dá
Canto o que eu quero viver
é o sol
somos crianças ao sol
a aprender a viver e sonhar
e o sonho é belo
pois tudo ainda faremos
nada está no lugar
tudo está por pensar
tudo está por criar
Saí de casa para ver outro mundo, conheci
fiz mil amigos na cidade de lá
amigo é o melhor lugar
mas me lembrei do nosso inverno azul
Eu quero é viver o sol
é triste ter pouco sol
é triste não ter o azul todo dia
a nos alegrar
nossa energia solar
irá nos iluminar

o caminho.

Advertisements

War of the Worlds

Respondendo a uma pergunta da Cláudia: gostei do filme, sim. Talvez por não estar esperando muita coisa e acabar me surpreendendo pela qualidade dos efeitos visuais e da atuação dos personagens. Dakota Fanning é mesmo uma revelação: se fosse minha filha acho que já teria dado uns puxões de orelha lá pela metade do filme. Tom Cruise também foi uma revelação, pelo menos para mim: ele está ótimo! Pra quem sempre achou o cara limitado, descobri que ele está conseguindo expandir as próprias limitações. É claro que o diretor de um filme é tudo, é quem consegue boas e ruins atuações dos atores (leia-se aqui Star Wars), porém um diretor não consegue tirar de um ator o que ele não tem para dar…

Uma outra coisa legal na história: Tom Cruise não é um herói no sentido amplo da palavra. Ele é mais um anti-herói, que se vê na posição de herói ao ter de se virar para salvar a própria filha. Ele é um cara antipático, crianção, irresponsável, e apesar de não ter realmente mudado no final do filme, acho que ele aprendeu o quanto se importava com os próprios filhos. Na hora H, até anti-herói arruma um jeito de salvar os filhos…

De bicicleta

O Ruud tirou uns dias de férias para comemorar o próprio aniversário (19 de agosto) e para relaxar um pouco. Fizemos vários passeios, mas hoje foi a glória depois de mais de ano sem andar de bicicleta de modo intensivo: fomos juntos a Rotterdam para assistir a “War of the Worlds”, com o Tom Cruise. Glória porque não ando de bicicleta assim desde que engravidei e passei a me cansar à toa. Ainda me cansei muito, pois ir e voltar a Rotterdam de bici não é exatamente fichinha, porém me mostrou que, apesar de estar fora de forma (e como!), estou melhor do que eu mesma temia. Agora é só manter o ritmo e fazer passeios assim uma vez por semana, pelo menos. Pena que os nossos horários não se cruzam. Só deu pra fazer isso hoje porque a Jasmijn estava na creche e nós dois tínhamos o dia livre. Normalmente não cola.

Enfim, só pra comentar que a minha vida ainda continua de bicicleta… 😉

Visitas

Finalmente, após um “tenebroso inverno” (mas nós ainda estamos no verão!!!!), consigo voltar a postar. As visitas se foram, a casa está silenciosa, filha dormindo, marido vendo tv até tarde (de férias por uns dias)… é hora de sentar na frente do computador e pôr os papos em dia.
Recebemos a visita de duas ucranianas: Nadia e a filha Sasha. Nadia, para quem não sabe, é uma ex-namorada do Ruud, com quem mantemos boas relações de amizade e troca de presentes e informações. Ela adora ponto cruz e isso nos aproximou muito (eu e ela). Há 5 anos fomos a Kiev e ficamos hospedados na casa deles, e foi muito bom. Ela também esteve aqui há 3 anos, para o nosso casamento, daquela vez com o filho pequeno (e que ainda mamava).

Enfim, foi uma boa estada. A menina, de 6 anos, chegou tímida, sem falar uma palavra de nada além de russo ou ucraniano, e saiu daqui já falando várias coisas em inglês e holandês. A timidez logo transformou-se em interação e foi bem divertido ver o esforço de todos para se comunicarem. Aprendi algumas palavrinhas em russo, mas confesso que não fiz esse esforço todo. Me esforcei mais para mostrar a ela que, apesar da barreira linguística, comunicação é tudo uma questão de esforço pessoal. Ou seja, chocolate virou minhamminham, e algo ruim virou careta mesmo. Uma delícia! Da minha parte achei muito interessante ver como Nadia cuida da própria filha, e como a diferença (e às vezes semelhanças!) ficam óbvias com o passar dos dias. Durante algumas conversas com a mãe sobre filhos de modo geral, descobri que a educação ucraniana tem muitas semelhanças com a brasileira. Muito curioso…

Falando em criação à brasileira, percebo que, apesar da minha adaptação ao mundo holandês, o meu lado brasileiro torna-se cada vez mais óbvio neste aspecto. O holandês é, de modo geral, razoavelmente aberto na criação dos filhos quando comparado ao modo alemão ou inglês de ser, porém ainda assim mais rígido do que o modo brasileiro. Apesar de o meu marido holandês, na teoria dizer que certas coisas deveriam seguir o modelo holandês, o coração dele não agüenta e acaba seguindo o modelito brasileiro da esposa. Sem contar que eu já disse pra ele que existem certas coisas que não dá pra eu seguir o jeito holandês. De modo geral concordamos quanto à educação da Jasmijn, mas, como ele mesmo diz: “Eu confio na Lília. Ela sabe mais sobre criação de criança do que eu e eu sigo o que ela diz.” E não é que segue mesmo? 😉

Acho que a gente ainda vai discutir muito sobre certas questões. Afinal, uma educação calvinista certamente deixa marcas, por mais mente aberta e coração manteiga que você seja. Mas sempre chegaremos a um senso comum.

Por hoje é só. Espero que vocês gostem das fotos. Hoje sem legendas, porque estou cansada e quero ir dormir….. zzzzzzzzzzzzzz

Infelizmente / Too bad

Tive de mudar o setting de comentários do blog porque uns idiotas resolveram ficar fazendo anúncio dos próprios sites nos comentários. Muito desagradável e nada a ver com o meu objetivo. Então, desculpem aos que gostam de comentar mas não têm blog: o motivo é esse. Se não der mais para fazer comentário, envie um e-mail. Vou achar legal do mesmo jeito.

For those idiots who started publishing comments in a very private blog to promote their own sites and stuff: I’ve blocked your entrance. And if you don’t like being called idiots or something even more offensive, stop bothering other people’s lives. Go get your own.