Dietas?

Lendo um artigo na O, the Oprah magazine (pois é, eu de vez em quando leio essas coisas…), sobre como perder os últimos quilinhos, fico pensando que o meu problema não está nos últimos e sim nos primeiros… Fico me perguntando qual é o problema, por que não consigo seguir adiante com uma dieta, por que fazer exercício é tão difícil etecetera e tal. Não sei se encontrei respostas para essas perguntas, mas sei que achei a revista bem mais interessante do que eu imaginava… 😉

Acho que um dos problemas está em pensar em dieta em termos temporários, como algo que vem e vai. Talvez seja em muitos casos, mas no meu é preciso que seja uma atitude totalmente diferente. Não é uma questão de emagrecer – por incrível que pareça, perder peso nunca é O grande problema -, mas uma questão de ser perseverante, de seguir objetivos, de ir até o fim. Preciso pensar não em uma dieta, mas em um novo estilo de vida, que estimule uma boa alimentação, exercícios, manter-me atenta a tudo…

Percebo que nos últimos meses (acho que até anos) estive num estado de certa dormência. Em minha tentativa de não sofrer por causa dos dois abortos que tive antes de a gravidez da Jasmijn dar frutos e ela nascer, o mundo passou a ter uma coloração menos brilhante, passou a ter menos graça. Isso não me tornou infeliz, ou me fez deixar de amar o meu marido ou família, mas me tornou mais triste em alguns aspectos, e menos alerta para o que há de bom na vida. Depois que a Jasmijn nasceu, e agora que o cansaço está começando a diminuir (nunca vai embora, pelo menos até os filhos completarem 18 anos. Ou é mais, pai?), confrontei-me com a realidade de que sou realmente mãe, de que esse sonho deu certo, e de que posso (e devo!) ser feliz.

E o que isso tem a ver com emagrecer? Ser feliz é um todo: é estar bem consigo mesmo, sentir-se bem no próprio corpo, nas coisas que se faz, ver o mundo com olhos coloridos (cor-de-rosa não é realista, sinto muito!), querer e realizar sonhos. E aceitar e abraçar a própria felicidade.

De repente me dou conta de que é isso o que está me faltando: aceitar a própria felicidade. Ainda não gosto do meu corpo do jeito que ele está no momento, porém sinto-me mais forte para mudar essa inércia e procurar e encontrar um meio que me agrade de não só perder peso mas de transformar a inércia em energia. Não vou mudar de uma hora para outra, nem perder 20 quilos em três meses, mas vou voltar a comer direito, a me exercitar com regularidade e a procurar meios de manter os quilos longe da minha balança.
Advertisements
This entry was posted in Uncategorized. Bookmark the permalink.

One Response to Dietas?

  1. Ceci says:

    Dieta, só quem tem que fazer sabe o quanto é chato… O problema é que não engordar não é apenas uma questão de força de vontade. Tenho certeza que não se conhece bastante a questão da obesidade. Enquanto lidamos com essa ignorância científica, o jeito é mudar o estilo de vida. Fazer pelo menos duas horas de exercícios por dia e comer como mandam os vigilantes, contando pontos e fazendo escolhas, sem fugir da comida. Aqui pra nós, é questão de viver de um jeito magro, o que não é normal… pra quem é gordo.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s