Egoísmo puro?

Na medida em que minha vida tomou outro rumo do que o antes esperado por mim, tornei-me mais egoísta, mais dona de mim e voltada para as minhas coisas. Mas é egoísmo pensar primeiro em si mesma e não nos outros? O que é ser egoísta afinal? Falamos tanto em egoísmo e, no final, não nos damos conta da absoluta necessidade de sobrevivência que o egoísmo traz: você é o centro da sua vida e nada pode funcionar direito se o seu centro estiver avariado.

Por muito tempo achei que eu deveria pensar primeiro nos outros. Aprendi com a minha mãe, que Deus sempre a tenha e que ela nos proteja, que ser cristão é pensar primeiro no outro, cuidar para que o outro não seja ferido, prestar atenção ao que se faz com o outro. Porém, a lição que tirei de sua doutrinação foi justamente a de “não faça aos outros o que não deseja que façam com você”. Uma citação bem egoísta, por sinal. Afinal, as ações passaram a ser vistas como um meio para obter o que, no fundo, você mesma queria para si.

Pensando bem, nada mais lógico. Não quero tratar bem o mundo para que ele me trate mal, mas também não posso esperar que, em eu tratando-o mal, ele me tratará bem. Às vezes é o que acontece. Por outro lado, aprendi também que uma ação sempre tem como conseqüência uma reação, seja ela imediata ou atrasada. Algumas reações são geradas em milissegundos. Outras precisam de tempo para serem pensadas e repensadas, quase como se a informação tivesse de percorrer o universo antes de voltar para o seu ponto de partida. Talvez seja este o mistério…

Enfim, apaixonei-me, passei a ter “vida própria” (como se eu não tivesse antes!), e tornei-me egoísta. Afinal, minha vida vem em primeiro lugar. Agora, então! Com a chegada da Jasmijn meu egoísmo mudou um pouco de face, espalhou-se na direção dela: não consigo nem pensar que algo de ruim possa acontecer a ela. É pelo meu bem-estar, sem dúvida, mas é também por saber que é minha filha, minha responsabilidade, uma extensão de mim e do meu amor. E por saber que ela ainda não é capaz de se defender sozinha. Por ela faço tudo: viro bicho, estraçalho o mundo, brigo com quem for.

E descubro que o meu egoísmo se transforma na maior tradução de amor possível.

Advertisements
This entry was posted in Uncategorized. Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s